top of page

O que te influencia?

Quantas vezes admitimos ser influenciados por algo ruim?


Quando estamos falando de influência, de certa forma, utilizamos a manipulação como base, repare que quando a influência é “boa”, geralmente falamos que houve inspiração. Admitir aquilo que nos faz mal é de uma dificuldade tremenda e poucas vezes somos capazes disso, mas sejamos sinceros, sabemos exatamente o que ou quem está tirando nosso foco.


O já consolidado método dos 12 passos, que resgatou incontáveis pessoas de problemas seríssimos, nos ensina que o primeiro passo é entender o problema, é declarar que ele existe, afinal de contas, não podemos lutar contra inimigos invisíveis. Quando admitimos o problema, estamos dando nome aos bois e esse passo é de tamanha importância, que para alguns, basta esse primeiro passo para que o problema se resolva. A influência pode ser um vício, quantos casos de jovens “bonzinhos” que por más influências acabaram indo para caminhos errados. A construção da sociedade estipula de forma silencioso, que todos precisam de seu “lugar”, seja ele uma posição social ou apenas um espaço de amigos, o seu lugar na sociedade varia muito, o que transforma essa busca por algo, constante. Um adulto costuma ter no mínimo 3 círculos sociais, sua família, seu trabalho e seus amigos, buscar e manter sua posição em cada um desses círculos demanda esforço, tempo e as vezes a necessidade controversa de ser quem você não é, quantas pessoas ostentam coisas que não possuem ou esbanjam o que não podem, apenas para buscar aceitação. Entender que existe uma necessidade de aceitação e compreender se você depende dela, pode ser o primeiro passo.


O mundo raramente age de maneira simples e são poucos os casos em que podemos identificar um problema e eliminar de forma imediata, muitas vezes precisamos consertar algo dentro de nossas mentes e essa é a parte mais difícil do processo. A coisa fica ainda pior quando a necessidade de um lugar, passa a ser mais específica e precisamos da aceitação de alguém em específico, medir nossas vidas com base na aprovação alheia é importante quando somos crianças e ainda estamos entendendo, mas viver preso a opinião de alguém, é um desperdício de personalidade e muitas vezes, um caminho reto ao fracasso. Quantas pessoas você conhece que não conseguem se quer pensar por conta própria, que funcionam como máquinas, trabalhando apenas por comandos de voz, nunca ousando ou tentando ser quem elas são, parasitando a aprovação alheia. A origem dessa necessidade deve ter origem em algum vinco psicológico, abrir as asas e voar por conta própria é um caminho natural aos pássaros, curiosamente não é a linha natural do ser humano, já ouviram falar que o ser humano precisa de um líder? Consegue imaginar a sociedade sem um governo? Mesmo em tribos, mesmo nas mais rudimentares civilizações conhecidas, sempre houve alguém no papel de líder. O que podemos perceber é que mesmo em pequenos grupos, existe essa busca por um chefe, um representante, alguém que possa se responsabilizar, por vezes isso ocorre mesmo quando estamos falando de uma simples dupla de amigos.


Talvez o Joãozinho que é amigo do Pedrinho, não saiba, mas ele depende da aprovação do Pedrinho, então sempre que Joãozinho pensa em um novo plano, é Pedrinho que deve assinar em baixo, aprovando a nova empreitada, mas e se o Pedrinho não gostar das mesmas coisas que Pedrinho, e se um ama música e o outro não, e se Joãozinho fosse o maior cantor de música gospel que o mundo já viu e Pedrinho odiasse esse estilo? Talvez Joãozinho acabasse por nunca tentar mostrar suas músicas a mais pessoas. É um exemplo exagerado sim, mas é a base da influencia direta, algo que ocorre mais do que podemos calcular, seja com o jovem que pretende mudar o mundo como o novo cientista, mas sua família desaprova, ou o garoto que quer começar a vendar figurinhas e desiste por que seus amigos não quiseram comprar, é o promissor vendedor que vê uma oportunidade no seu local de trabalho mas não consegue colocar ela a diante pois seu chefe acha ela uma besteira.


Tudo o que falamos até aqui, remete ao gamedev, onde buscamos aprovação, onde vemos mentes criativas buscando opiniões para cada passo dado, a influência pode vir de uma comunidade também. A busca constante pela opinião alheia, é perigosa e pode acabar com toda a sua motivação, depender de recursos externos para afirmação pessoal, pode acarretar uma série de decepções e nem todos estão preparados para superar isso. Busque em você mesmo, tudo aquilo que precisa. Seja o seu próprio combustível e não se deixe abalar, não existem derrotas ou fracassos, existe o caminho e nele você vai passar por altos e baixos, insistir no seu sonho é o melhor caminho para alcança-lo.



30 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

1件のコメント


Mister Dovah
Mister Dovah
2021年8月21日

Tema pertinente, necessário e sempre atual. Falando em gamedev, muitos criadores precisam aprender a filtrar os feedbacks para poder melhorar de fato seu trabalho. A questão não seria apenas sobre a influência existir ou não, mas qual influência deve receber sua atenção. Meu caso é um exemplo. Passei a associar gamedev a aprovação e é quase automático desistir por prever reprovação. Algo a se trabalhar todos os dias: dissociar o gamedev da necessidade de aprovação / vaidade.

いいね!
bottom of page